Astronadc Pereira, é policial militar, Psicologo e professor. Mais conhecido como Sargento Pereira.

Minha foto

Um homem com sonhos e pé no chão com a certeza de que o amor e a felicidade é o combustível que nos nutri de esperanças e fé. Prefiro que não discutam comigo e sim com minhas ideias.
Paz, felicidades, saúde e fé.

Astronadc Pereira

segunda-feira, 10 de junho de 2013




Sargento da PM/PB quer que policiais tenham direito a voto mesmo quando estiverem de serviço

O Sargento da Policia Militar da Paraíba, Astronadc Pereira de Moraes (sargento Pereira), vai pedir ao Conselho Estadual de Direitos Humanos (CEDH) que solicite a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH-PR) que recomende, em resolução ministerial, o direito do voto do Policial Militar.

"Queremos que o CEDH interfira, junto à SDH-PR, para que seja acrescentado na resolução, que estar sendo feita a respeito dos Direitos Humanos dos Profissionais de Segurança Pública do Brasil, um artigo recomendando que os estado da federação e o sistema eleitoral garantam o direito do voto do policial militar".

Sargento Pereira disse que exigirá das entidades de classe das Policias que entrem no Supremo Tribunal Federal (STF) e no Supremo Tribunal Eleitoral (STE) com um mandado de injunção ou outro mecanismo jurídico para que se garanta a esses policiais o direito de votar, mesmo que no dia do pleito estejam em serviço ou fora do domicílio eleitoral.

"A maior parte do efetivo policial encontra-se em serviço no dia das eleições e, por isso, não consegue exercer o direito ao voto em razão da incompatibilidade entre o início e fim do seu turno de trabalho e o horário da votação. Ou, ainda, por serem deslocados para o interior no dia do sufrágio, estando fora de sua zona eleitoral, o que não é justo", complementa.

Pereira lembra que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) editou resolução garantindo o direito aos presos provisórios, mas os policiais militares são impedidos de votar, de exercer a cidadania. "Portanto, neste caso, não contam com esse mesmo direito por parte do sistema eleitoral".

Para o sargento, impedir esse profissional de exercer a sua cidadania é um atentado aos direitos humanos do policial e de todos os fazem a Segurança Pública no Brasil.



Assessoria de Imprensa

Nenhum comentário: