Astronadc Pereira, é policial militar, Psicologo e professor. Mais conhecido como Sargento Pereira.

Minha foto

Um homem com sonhos e pé no chão com a certeza de que o amor e a felicidade é o combustível que nos nutri de esperanças e fé. Prefiro que não discutam comigo e sim com minhas ideias.
Paz, felicidades, saúde e fé.

Astronadc Pereira

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Revista alemã classifica Polícia Militar do Rio como 'pior do que gangues'

Revista alemã classifica Polícia Militar do Rio como 'pior do que gangues'

16/10/2013 | 17h44min

Na edição desta semana da revista alemã “Der Spiegel”, a Polícia Militar do Rio de Janeiro é classificada como "pior do que gangues". Segundo a reportagem do correspondente Jens Glüsing, a polícia carioca é repudiada pelos moradores das favelas onde foram instaladas as UPP’s (Unidade de Polícia Pacificadora). A matéria mostra detalhes sobre a ocupação do Conjunto de Favelas do Lins, na Zona Norte, no domingo dia 6, para implantação da 35ª UPP na cidade. Ainda são descritos o envolvimento de PMs da UPP da Rocinha na morte do pedreiro Amarildo de Souza. Há também a ocupação do Complexo do Alemão, há dois anos, que levou a morte de dezenas de pessoas. E para completar também é descrita a truculência praticada pelos PMs contra manifestantes nos atos realizados na cidade.
A revista alemã ainda destaca que "entre os muitos moradores da favela, a força policial do Rio de Janeiro tem uma reputação pior do que as quadrilhas de traficantes criminosos. Eles são vistos como bandidos e assassinos”.
O caso Amarildo é um dos destaques da reportagem que descreve o caso de tortura e morte do ajudante de pedreiro com a presença do comandante da UPP. A revista conclui que "o crime [de Amarildo] lança uma sombra sobre toda a estratégia de pacificação do governo".
Sobre a tortura praticada pela polícia carioca a revista diz que "o delito é quase sem precedentes: tortura é rotina em muitas delegacias de polícia”. Ainda sobre a atuação da PM do Rio de Janeiro a revista cita o historiador da UFRJ Francisco Carlos Teixeira da Silva que disse que "A polícia foi menos violenta sob a ditadura militar do que no governador Cabral".
A reportagem da revista alemã é mais uma constatação, neste caso internacional, sobre a polícia brasileira, já acusada por outros órgãos, como a própria ONU, como extremamente violenta que age principalmente contra a população pobre.

                      

PCO

Nenhum comentário: